2 de nov de 2010

O TELEFONE ESTÁ TOCANDO. VOCÊ IRÁ RESPONDER? - 02/11/10


O TELEFONE ESTÁ TOCANDO. VOCÊ IRÁ RESPONDER?
Uma mensagem de Jennifer Hoffman
27 de Outubro de 2010

Eu me lembro das muitas vezes em que o Universo tentou me impedir de fazer algo que eu queria fazer de qualquer modo. Não importa quantos obstáculos foram colocados em meu caminho, eu prosseguia, determinada a ser bem sucedida a todo custo. E eu pagava o preço em tempo, com a energia e a dor. Por que eu não via as pistas pelo que elas eram, avisos de que o caminho em que eu estava não era o melhor para mim? O que me fazia seguir em frente com os meus planos, determinada a ver o que estava diante de mim, não importa o que isto significasse (e algumas vezes, significava muito!). O telefone toca freqüentemente em minha vida e eu não o pego porque não quero ouvir as mensagens, mas aprendi a ouvir e então, esperar mais informações, porque o telefone sempre me diz exatamente o que eu preciso ouvir.

Acho que por ser Ariana tem algo a ver com isto – eu posso ser muito teimosa, mas havia também um elemento do medo. E se nada mais houvesse além do que eu via como a minha única opção? Se isto não funcionasse eu teria que começar novamente. Assim quando o telefone começava a tocar, na forma de eventos, situações, sinais e pistas de todos os lados, eu fingia ser surda e cega e os ignorava.

Uma situação se destaca em minha mente como um grande exemplo disto. Eu queria trabalhar para uma companhia e tinha conseguido entrar em contato com o CEO e obter uma entrevista. Esta era uma empresa de tecnologia de ponta, e que eu admirava e respeitava, e realmente queria este emprego. Assim eu tinha uma entrevista com o CEO e com o chefe do departamento, com quem eu estaria trabalhando. O CEO ficou impressionado, mas o outro homem estava um pouco nervoso, porque eu era mais experiente e qualificada do que ele. Eu percebi que ele ficou olhando para mim e eu poderia dizer que ele se sentia muito desconfortável. (dica número 1).

Mas desde que eu tinha impressionado o CEO, eu estava certa de que tinha o emprego. Assim, eu continuei em contato e esperei pela carta de oferta. Enquanto isto, eu recebi outras ofertas de entrevistas, mas as recusei porque sabia que conseguiria este emprego. Quando eu telefonava para o escritório do chefe do departamento, ele nunca estava por perto e nunca retornava as minhas ligações (dica número dois). Então eu telefonei para o CEO e ele disse que estava fora de suas mãos, que era responsabilidade do chefe do departamento (assim ele não iria me apoiar. Dica número 3).

Eu tinha alguns softwares que esta companhia produziu e um dia, um mês após a minha entrevista e após fazer outro telefonema à companhia, eu abri a gaveta da minha mesa para pegar o CD do produto e ele tinha quebrado ao meio. Como isto aconteceu é um mistério, porque eu sempre mantive o Cd nesta gaveta, junto com outros e ele foi o único que estava quebrado. (dica número 4). Assim, eu telefonei para a companhia, que estava localizada em minha cidade, para pedir uma substituição e eles disseram que eu poderia conseguir um.

Eu me dirigi até o escritório e caminhei até a porta e ela não se abriu. A recepcionista tentou abrir apertando o botão algumas vezes, mas a porta estava emperrada. Finalmente, ela se levantou para abrir a porta para mim e ela não se abriu também. (dica número 5). Eu estava tentando abri-la do lado de fora, ela estava a empurrando por dentro e ela não se abriu. Após várias tentativas (ela disse que isto nunca tinha acontecido antes), a porta se abriu, eu consegui o meu CD e fui para casa.

A mensagem era clara, a porta para este emprego estava emperrada e eu precisava procurar em outro lugar. Isto tinha somente me levado um mês, várias dezenas de telefonemas, muita frustração e algumas oportunidades perdidas. O telefone estivera tocando alto, mas eu não estava ouvindo. Eu queria este emprego e fiz tudo que podia para obtê-lo.

O telefone é o modo do Universo de nos deixar saber que o que estamos perseguindo não é o melhor caminho para nós. Mas desde que isto freqüentemente acontece quando estamos em uma situação onde sentimos que temos opções limitadas, ou realmente queremos o que estamos perseguindo, vemos a dica do telefone como outro bloqueio em nosso caminho. É, mas ele está tentando fazer com que mudemos o nosso foco, que nos movamos para outra direção e deixemos ir a nossa vontade e nos entreguemos ao processo.

Como podemos nos entregar quando precisamos de um emprego, queremos este relacionamento, temos o nosso coração colocado no que estamos perseguindo, ou pensamos que é a coisa mais maravilhosa possível? Temos que responder à dica do telefone e ouvir as mensagens que ele tem para nós. Então podemos deixar ir o que estamos perseguindo tão arduamente (isto é uma enorme pista, quando queremos algo muito, nós faremos qualquer coisa para obtê-la), e vemos o que está além disto.

Quando estamos focados em um resultado determinado, podemos nos tornar alheios a todo o resto. Nossa perspectiva se vai, como a nossa habilidade em questionarmos se isto é a melhor e mais adequada opção para nós. Quanto mais alto o telefone soa, mais resistimos a suas mensagens e, entretanto, precisamos ouvi-las. Então, nos sentimos bloqueados e presos, e temos duas escolhas, avançarmos ou pararmos e esperarmos mais informações. Podemos deixar ir este sonho e confiarmos que outro ocupará o seu lugar? Isto é difícil de fazer, mas se o telefone está soando, tem uma mensagem para nós que contém outra opção. E é do nosso interesse atendê-lo.

O telefone está soando em sua vida? Que mensagens ele tem para vocês que não querem ouvir? Vocês poderão ter a oportunidade de que elas serão as melhores e adequadas opções para vocês, ainda que isto signifique que vocês têm que deixar ir o que tem no coração e deixar que o Universo lhes traga outra coisa? Poderia não ser o que vocês querem fazer, mas se vocês se abrirem para outras possibilidades, podem ficar surpreendidos pelo que possa acontecer.

Nestes tempos interessantes e transformadores, podemos ficar oprimidos pelo que está acontecendo em nossas vidas, mas há sempre outras soluções. Aqui estão algumas coisas para ajudá-los a atravessar os momentos difíceis em sua vida.

Permaneçam calmos, focados, não identificados e cientes, e lembrem-se que os seus pensamentos estão criando cada momento em sua vida.

Enquanto vocês ponderam isto e outras coisas que estão acontecendo neste momento, lembrem-se de que:

Aceitem todas as dádivas da compreensão com gratidão e as usem para aplicar o perdão, a liberação e a cura a cada situação.

Peçam orientação e confirmação e então esperem que isto venha até vocês.

Acima de tudo, sejam gratos por esta oportunidade de fazer parte da surpreendente mudança na consciência da humanidade, enquanto todos nós ascendemos na milagrosa vibração.

Muitas bênçãos nestes tempos milagrosos e surpreendentes,

Jennifer Hoffman
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Direitos reservados © 2004/2010 para Jennifer Hoffman. Todos os direitos são reservados. Todo o material desta página está protegido pela lei dos direitos internacionais dos Estados Unidos da América e não podem ser parcialmente o integralmente reproduzidos sem a permissão escrita e expressa da autora. Todas as reproduções autorizadas, parciais ou em cópias, por inteiro ou em parte, devem fazer referência ao nome da autora e ao website de Curas Uriel
www.urielheals.com.
Gostou ! Indique para seus Amigos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário